Home Sérgio Siqueira

Sérgio Tadeu Siqueira, nascido no Rio de Janeiro, ao longo de seus 46 anos passou por Brasília, Espera Feliz (ES) e veio parar em Cabo Frio, onde mora há cinco anos. Cresceu recebendo amor de pai, de mãe, tinha uma vida próspera. Desde os dezoito anos, tinha metas, objetivos (ter família, casa, carro…) e aos vinte e cinco já tinha conquistado tudo. “Fui relativamente feliz”, diz Sérgio.

Mas até ao dia de hoje, muita coisa mudou em sua vida. Ele que era muito criterioso, como se diz: “um defensor da moral e dos bons costumes”, sentiu necessidade de se liberar mais pra conhecer coisas novas, pra se entender melhor com os amigos que tinha. Logo ele que na roda dos amigos, só bebia suco de laranja, começou a beber! Socialmente, como se diz. Em pouco tempo e

xperimentou a maconha e depois drogas mais fortes. “A sutileza dos acontecimentos te levam ao desastre”, conta Sérgio.

O que o influenciou fortemente a mudar de vida foi a busca pelo prazer e a curiosidade. A droga foi uma maravilha no começo, ficou deslumbrado. Depois ela o envolveu de uma maneira que quando viu estava escravizado.

Sua realidade mudou; tudo que tinha conquistado começou a perder: família, casamento e ainda ad

 

quiriu muitas dívidas por má administração dos negócios.

Durante um bom tempo, mesmo vendo a ruína chegar, não enxergava. A soberba e o engano tomaram conta de sua vida e achava que a postura que tinha de encarar as perdas com orgulho, fazia parte da sua virilidade porque as pessoas o temiam pela vida que tinha. Achava que controlava a situação.

Com as drogas, as noitadas, as mulheres, o adultério começou a perceber que estava fazendo pessoas que o amavam sofrerem. Começou a tentar sair disso. Eram tentativas, mas não decisão. Ia para a igreja achando que poderia o salvar de maneira sobrenatural: ia sair e não sentir mais vontade.

Com todos os problemas, a vida seguia aparentemente normal

 

em Espera Feliz, onde tinha comercio; mas quando menos esperava apareceu a oportunidade de vir para Cabo Frio. A esta altura Sergio já estava separado e afastado dos filhos por causa da drogadição. Achou q pudesse conciliar sua vida lá e aqui. Mas não deu, o negocio em Espera Feliz desmoronou e a sociedade com um grande amigo começou a ruir também.

Durante três meses permaneceu na mesma vida aqui em Cabo Frio. Com pouco dinheiro teve que morar um ano em um quartinho sem Tv, com um ventilador barulhento e dormirem uma caminha com um colchão velho. Mas o pior ainda estava por vir, afirma Sergio: “Quando eu pensei que as coisas estavam ruins e não tinham como piorar…pioraram! Descobri que meu filho Kevin estava usando drogas. A mãe dele percebeu mas não tinha noção da gravidade. Então eu o trouxe ele pra Cabo Frio achando que  iria resolver o

 

problema dele”, relembra Sergio.

Sergio afirma que não tinha noção da força do exemplo. Ele pensava que podia apenas dar conselhos ao filho como “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Mas não funcionou. Um dia flagrou o Kevin usando cocaína em casa. Ele tinha apenas 14 anos! Sentiu ira contra si mesmo. Conseguiu a enxergar o tamanho da destruição que estava causando na vida da família. Caíram as escamas dos olhos!

Sergio teve uma experiência forte, onde Deus se mostrou de maneira forte a ele: em casa, sozinho, chorando, muito ruim, ouviu Deus dizer: “eu sei o que você está passado”. “Como assim?” “Eu sei por que filho, já venho há anos vendo você dessa maneira como você está vendo seu filho”.  Sergio conta que foi aí que ele enxergou a sua degradação. Já tinha passada do fundo do poço, cavado mais um pouquinho. Ficou atordoado. Ele afirma que entendeu o recado de Deus, mas não sabia como fazer. Foi quando reconheceu que o problema era ele e não o seu filho. Sabia que precisava buscar ajuda pra ele.  Logo depois ele viu a propaganda do PROVIDE em uma revista e, mesmo confuso decidiu a começar o tratamento para se livrar da dependência.

Sergio garante que nunca mais usou drogas. Continuou fumando durante um mês, mas também abandonou o cigarro. Porém algo ainda o incomodava. Ele conta: “Deus não queria somente a libertação do vicio, mas queria que eu o conhecesse”, afirma.

Sergio começou a ansiar para encontrar Deus e a partir do momento que se interessou pela busca por Deus, começou a se envolver mais com a vida de Deus. No PROVIDE ele teve a ajuda de pessoas que tinham o mesmo objetivo. Ele explica: “O relacionamento num novo conceito da amizade trouxe muita coisa boa pra mime e é o que me tem sustentado. Na verdade foi o que me aliançou a Deus e me fez permanecer nesse caminho. Sem esse cuidado, já estaria na rua, eu e o Kevin, rapidamente”.

Totalmente recuperado Sergio afirma que essa experiência tem sido tão boa, tão edificante que o maior prazer que ele tem é replicar essa prática, não somente por gratidão, mas por prazer; ele quer fazer por outros, o que fizeram por ele um dia; serem discípulos de Jesus, libertos da drogadição e do mundo.

 

sérgio

(Sérgio Siqueira em companhia de seus filhos).